O que você é não pode impedir o que deve fazer.

o-que-voce-e-nao-deve-impedir-de-fazer
O evangelho de Cristo é uma mensagem de grande poder transformador, sabe por quê? Porque é um ensino vivo que para chegar até nós enfrentou e enfrenta adversidades diversas, sem, no entanto perder a sua essência. As Boas Novas de Cristo são como um grande rio criado para romper em quaisquer circunstâncias. Foi assim que ele chegou até cada um de nós, vencendo perseguições, guerras e heresias criadas para desvanecer seu efeito. Muitos são os inimigos do amor de Cristo, mas têm um que supera a todos os demais. Podemos dizer que um coração duro e insensível é o maior de todos esses inimigos. Há muitas pessoas que pensam que um coração duro é somente aquele que se recusa a receber o amor e o perdão de Deus, mas não é. O pior de todos os corações é aquele que mesmo depois de receber todos os benefícios de Cristo se nega terminantemente a servi-lo. A dureza de coração é algo que afeta grande parte dos servos de Deus, e que, por fim impede a obra salvadora de avançar. Já parou para refletir sobre quantas penalidades já sofremos por causa de um coração petrificado? Ou quanto mal já causamos à obra de Deus e até às pessoas por causa de um coração duro e orgulhoso?

São advindas de nosso coração todas as respostas que oferecemos a Deus. Um coração sensível e consciente do perdão que recebeu, responde sempre com amor, disposição e profundo comprometimento, isso tudo é resultado da sensibilidade permanente desse tipo de coração. As respostas de um coração duro são sempre em favor do ego e da autopreservação. Pessoas de coração endurecido, no fundo, acreditam ser grande desperdício o tempo ou bens que poderiam investir em Deus, sendo assim as respostas oferecidas a Deus sempre demonstram desculpas, fuga ou transferência de responsabilidades. Os de duro coração pensam poder fugir de suas responsabilidades espirituais apenas pelo fato de “estarem” ou “serem”. Elas dizem: “Não posso por que estou ocupado”, “Não posso por que estou estudando” ou simplesmente: “não posso por que estou cansado”. Por outro lado, há os que dizem: “Não posso, por que isso é serviço de vocês, eu sou apenas um membro sem oportunidades”, “Não posso por que sou despreparado”. Há os que dizem: “Não posso por que sou empresário ou formado nessa ou naquela graduação, por isso não tenho tempo” e até os que se esquivam dizendo: “Não posso por que sou doente”, ou “sou uma pessoa com muitos problemas”.

Quando fugimos de executar nossa função de servos por qualquer motivo, livramo-nos apenas de ter que fazer algo, nunca de nossa incumbência, ou seja, evitamos apenas gastar nosso tempo, o que não significa que retiramos todo peso ou a sensação de responsabilidade que cobra e sempre cobrará de nossa consciência. Quem tem o coração duro pode empreender todo esforço para demonstrar que não pode fazer algo, mas isso jamais o isenta, pois há um preço por fazer, e outro maior ainda por não fazer. Qual deles você está disposto a pagar? Qual deles você acha que será o mais em conta para você? Saiba que há um preço para todo tipo de resposta do coração. Sabe por que? Porque servir a Deus não é uma função ou mera ocupação. Servir a Deus deve ser encarado como nossa vida e missão. Há sempre uma grande oportunidade de servir a Deus para você em qualquer circunstancia ou estágio da vida. Basta que isso esteja aceso em seu coração que deve ser grato. Pessoas de sensível coração servem naturalmente, como se aquilo fosse uma rotina prazerosa em suas vidas. Por causa de seu coração transformado elas fazem tudo de forma muito natural, simplesmente por que reconhecem ser algo que deve ser feito. Elas não se preocupam com aquilo que são, porque antes de todas as coisas elas entendem que são servas de Deus. O que elas são não as tira do foco daquilo que sabem que deve fazer.

Adeneir Sousa
Saber mais sobre o autor Clique aqui


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>