Para pessoas diferentes, tratamentos diferentes

lider

Se as tentações da liderança não fossem tão constantes e numerosas e quase imperceptíveis teríamos muito mais líderes autênticos. A vida bem alimentada em Deus e a fuga de muitas tentações traz maturidade, sabedoria e influência ao líder fazendo com que se torne cada vez mais forte, visionário, autêntico e motivador. Quando, porém, o líder se sucumbe às inúmeras tentações encontradas no caminho de sua liderança vai se tornando cada vez mais fraco, repelente e altivo e sua liderança se torna medíocre e infrutífera. Traremos uma série de artigos semanais onde tentaremos retratar as piores e mais comuns tentações involuntárias que afligem os líderes atuais.

Muitos caem no erro de relacionar e apenas fugir de umas poucas tentações como: corrupção, sexo oposto ou outros tipos de pecados corriqueiros, mas abordaremos neste artigo outros tipos de tentações que trazem descrédito ao líder, talvez até sem que ele perceba. A primeira tentação que comentaremos, e da qual o líder deve fugir a todo custo é a atitude de tratar as pessoas de forma genérica. Tratamos as pessoas genericamente quando damos a elas o mesmo valor e a mesma importância em comparação umas com as outras. Existem pessoas e pessoas, mas corremos o risco de tratá-las vagamente, como se fossem um só gênero, sem demonstrar nenhum interesse pelo que possam ser ou fazer. Desta forma, transmitimos a impressão de que todas são iguais. Isso seria positivo numa cultura onde todos não tivessem capacidade, planos ou sonhos, mas em uma cultura onde se busca ousadia e resultados, tal atitude é totalmente mortal.

Claro que é muito comum o fato da maioria dos líderes enxergarem as pessoas genericamente, pois é a maneira mais cômoda. Muitos líderes insistem nesta postura porque evitam perder tempo com relacionamentos. Maus líderes são péssimos em relacionamento e perdem muito com isso, pois no bom relacionamento é que descobrimos potencialidades. Muitos  não querem gastar tempo sondando pessoas por isso preferem apenas dar uma migalha de atenção padronizada e leviana a cada um, mais para se livrar das pessoas do que para se relacionar. Quando muito, procuram ser carinhosos, simpáticos e até abraçam, mas isso não faz com que o tratamento deixe de ser genérico.

A tentação do tratamento genérico

O bom líder investe em relacionamentos e faz de tudo para que esses relacionamentos com seus companheiros se tornem cada vez mais autênticos, verdadeiros e satisfatórios para ambas as partes. A forma de tratamento somente é verdadeira quando procura respeitar a individualidade de cada um. Essa individualidade é desrespeitada quando as pessoas são tratadas de igual forma. A maioria das pessoas realmente só precisa de atenção e carinho principalmente quando não podem ou não conseguem ser produtivos pela organização, mas se nos habituamos a oferecer isso somente, passaremos a desprezar valores, o potencial e principalmente qualidades de outras. No mundo da liderança temos que aprender rapidamente que além das que precisam de atenção e carinho há também aquelas que precisam de reconhecimento para suas qualidades, de oportunidade para desenvolver seus talentos e até de investimento em seus projetos e sonhos.

Muitos carregam a impressão de que, tratando a todos de uma forma simpática e sistematizada estará com isso agradando a todos. O Caminho de deixar todos felizes é o mesmo do fracasso. Quem tenta agradar a todos acaba apenas  agradando aos mais fracos e acomodados, pois com essa atitude coloca pessoas valorosas à mesma altura delas, o que acaba desagradando àqueles que têm um maior potencial para realizar, e isso é ruim. Quando pesamos as pessoas em uma mesma balança, ou preferimos nos aliar apenas por afinidades pessoais, corremos o risco de associar pessoas de alto potencial a pessoas indiferentes ao projeto que intentamos realizar.  São as pessoas que estão ao seu lado que definem quem você é e ditam exatamente o ponto onde você quer chegar. O foco de organizações que crescem é sempre o resultado por isso, buscam e valorizam pessoas de resultado. A tomada de decisão na liderança sempre tem que obedecer a uma lei. Se tem que agradar alguém, então agrade a quem produz, não dê prêmios à mediocridade.

Uma das principais armas do líder para conquistar as pessoas é justamente a forma de tratá-las. Não há como tratar bem um indivíduo se não temos capacidade de corresponder suas expectativas. É um mundo que tem que ser explorado pelo líder, pois as pessoas são diferentes justamentes porque trazem qualidades e expectativas diferentes.  Quando uma pessoa se agrega ao projeto, o líder imediatamente tem que investir em conhecê-la e procurar extrair desta pessoa o máximo de informação que puder assim, irá descobrir o potencial dela. Muitos querem que as pessoas fiquem e se revelem, mas é papel e prazer de um  bom líder revelar talentos e potencialidades e usar isso ao máximo em  prol da organização.

Essa é uma tentação da qual o líder valoroso deve aprender fugir. Trate a todos de forma especial, mas valorize talentos, atitudes e qualidades. Infelizmente existe uma máxima que ainda está longe de se tornar realidade “para pessoas diferentes tratamentos diferentes”

Autor: Pastor Adeneir Sousa

Sobre o autor

Todos os direitos reservados ao autor. É expressamente proibido qualquer tipo de reprodução sem a autorização por escrito do autor.

One Response to Para pessoas diferentes, tratamentos diferentes

  1. Cleidiane Resende Dos Santos disse:

    Muito bom Aprendi ser uma boa líder principalmente quando se trata da obra do senhor resumindo pra ser um bom líder temos que ter um bom relacionamento com os liderados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>