Revista Veja engana pastores para produzir reportagem

veja
Motivada pela forte repercussão do projeto que ficou conhecido em todo país como “cura gay”, embora não seja esse o seu nome original, a revista Veja investigou pelo menos 10 pastores de diversas igrejas na cidade de São Paulo, agindo de forma reprovável e desnecessária apenas para produzir uma reportagem. A intenção da revista foi investigar como os pastores lidam com os casos de homossexuais que procuram a igreja em busca de ajuda. Lamentável na reportagem foi a forma usada para obter esses dados. A revista enviou um de seus repórteres disfarçado para abordar pastores de igrejas evangélicas, se passando por um homossexual em busca de ajuda para mudar sua orientação sexual. A forma usada pela revista foi ilegítima e desrespeitosa, invadindo sem a mínima necessidade uma entidade que nada esconde quando se trata da postura que sempre teve em relação ao ativismo gay. A igreja permanece firme em seus princípios sendo a única que, baseada na Bíblia, ainda acha que há esperança para casos assim e não esconde que acredita em uma sociedade que se conserva através da família tradicional.

Segundo a reportagem, nenhum pastor afirmou ter um programa específico para lidar com casos assim, mas todos indicaram algum tratamento espiritual. Normalmente, para quem entende o que acontece em igrejas evangélicas de todo mundo, este é um comportamento padrão que defende unicamente princípios Bíblicos. Uma vez, concluída a “investigação”, a Veja relacionou o nome das igrejas visitadas, o nome de alguns pastores e a forma como eles reagiram a abordagem, incluindo também na matéria o texto do diálogo que teve com os pastores.

As igrejas visitadas e citadas na reportagem foram: Deus é amor, Universal do reino de Deus, Mundial do poder de Deus, Igreja Cristã Pentecostal Independente Maravilhas de Jesus, Assembleia de Deus Ministério do Belém, Internacional da Graça de Deus e do outro lado, também visitou a igreja da pastora Lana Holder.

3 coisas causaram bastante estranheza:

1. A forma enganosa e maquiavélica de agir da revista que usou um repórter para se passar por homossexual, enganando homens, que cada um ao seu estilo, agiram na mais pura boa fé e sinceridade. A intenção nítida da Veja foi apenas “pôr mais lenha na fogueira” e tentar provar que as igrejas usam a prática do “cura Gay”.

2. A ultima igreja a ser visitada foi a Comunidade Cidade de Refúgio, igreja inclusivista fundada pela lésbica assumida Lana Holder e sua companheira Rosania Rocha, que é frequentada em sua maioria por homossexuais. Essa foi uma visível tentativa de mostrar que os padrões da igreja devem ser revistos, uma vez que pessoas do meio já aderiram a essa necessidade de mudança. “Quase todos eles tentaram se ‘salvar’ e não conseguiram. É normal recebermos aqui gente que já quis se matar várias vezes devido a esses processos, que causam um problema sério de auto aceitação. Afirmou Lana Holder durante a visita.

3. Quando voltei hoje ao site em busca de maiores detalhes da matéria a mesma não estava mais lá.
Diante desse fato fica claro que está declarada uma guerra violenta contra a igreja. Nessa guerra serão usados poderes de mídia, da política e pressão popular e não sei se uma igreja fragmentada por causa de tantas ambições humanas e tão arraigada a um sistema falho será capaz de resistir a todos os ataques. Um pouco de humildade nesse momento e sincera união em busca de um projeto que resguarde a igreja seria a melhor estratégia


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>