Ilustrações

Histórias sobre a importância da comunicação

Comunicação

Uma das coisas mais importantes para o funcionamento perfeito de uma igreja e para o
sucesso de todos os níveis de liderança é o tipo de comunicação empregado. Para
você entender a importancia da boa comunicação em lidarança preparamos essas três
ilustrações que você pode usar em sua reuniões de liderança ou de discipulado.




Briga de Trânsito

Um certo homem dirigia seu carro à noite numa velocidade de cem por hora. De repente
veio outro veículo em direção contrária piscando as lanternas insistentemente. O
homem rapidamente reduziu ao máximo a velocidade de seu carro e quando se
aproximou do carro que lhe dava sinais uma mulher com os braços acenando gritou:

-Porco!

Sem entender o motivo da brincadeira ele revidou imediatamente:

-Vaca!

Muito enfurecido ele seguiu viajem e quando já estava a cem por hora novamente
chocou-se com um enorme porco que estava parado no meio da pista.




A máquina de Lavar

Ao passar na porta de uma residência um jovem viu o sofrimento de um senhor, ao lidar
com uma pesada máquina de lavar e decidiu ajudá-lo a guardar sua lavadoura. Os dois
usaram toda a sua força e perícia. O esforço foi tanto que ambos estavam derramando
suor. Cansado e desanimado o jovem disse ao dono da máquina:

-Nunca conseguiremos colocá-la para dentro!

O senhor então respondeu:

-Não estou tentando colocá-la para dentro, estou tentando tirá-la para fora!




O Cão Mal Educado

Dois amigos de muitos anos se encontraram na residência de um deles. Enquanto se
cumprimentavam o dono da casa percebeu que junto com o amigo veio um enorme cão
que logo entrou casa a dentro e começou a bagunça: Derrubou abajur, retirou
alguns móveis do lugar, rasgou as almofadas e causou muitos outros danos em pocuco
tempo. Enquanto os antigos amigos tentavam se alegrar relembrando as suas antigas
histórias, o cão despreocupadamente destruía toda a casa. Quando o cão fez cocô no
tapete caríssimo, o amigo visitante pertubado despediu-se e decidiu ir embora, pois
estava constrangido com tamanha destruição.
Ao se despedir o amigo dono da casa perguntou:

-Não vai levar o seu cão?

O amigo visitante então respondeu:

-Não, este cão não é meu, pensei que ele fosse seu.

Atalhos em nossas vidas

Dois jovens recém-casados, eram muito pobres e viviam de favor num sítio no interior.
Um dia o marido fez a seguinte proposta a esposa:

-Querida, eu vou sair de casa, vou viajar para bem longe, arrumar um emprego, e
trabalhar até ter condições para voltar e dar-te uma vida mais digna e confortável. Não
sei quanto tempo eu vou ficar longe, só peço uma coisa: Que você me espere, e
enquanto estiver fora, seja fiel a mim, pois eu serei fiel a você.

Assim sendo, o jovem saiu, andou muitos dias a pé, até que encontrou um fazendeiro
que estava precisando de alguém para ajudá-lo em sua fazenda. O jovem chegou e
ofereceu-se para trabalhar, no que foi aceito. Pediu para fazer um pacto com o patrão,
o que também foi aceito.

O pacto foi o seguinte:

-Me deixe trabalhar pelo tempo que eu quiser e quando eu achar que devo ir, o senhor
me dispensa das minhas obrigações. Eu não quero receber meu salário. Peço que o
senhor o coloque na poupança até o dia em que eu for embora. No dia em que eu sair o
senhor me dá o dinheiro e eu sigo o meu caminho.

Tudo combinado. Aquele jovem trabalhou durante 20 anos, sem férias e sem descanso.
Depois de 20 anos ele chegou para o patrão e disse:

-Patrão, eu quero o meu dinheiro, pois estou voltando para minha casa. O patrão então
lhe respondeu.

Tudo bem, afinal fizemos um pacto e vou cumpri-lo, só que antes, quero lhe fazer uma
proposta, tudo bem?

-sim. disse o empregado

-Eu lhe dou todo o seu dinheiro e você vai embora ou lhe dou 3 conselhos e não lhe
dou o dinheiro. Vá para o seu quarto, pense e depois me de a resposta.

Ele pensou durante 2 dias, procurou o patrão e disse-lhe:

-Quero os três conselhos.

O patrão novamente frisou:

-Se lhe der os conselhos, não lhe dou o dinheiro.

E o empregado respondeu:

-Quero os conselhos.

O patrão então lhe Falou:

1º Nunca tome atalhos em sua vida, caminhos mais curtos e desconhecidos podem
custar a sua vida;

2º Nunca seja curioso para aquilo que é mal, pois a curiosidade para mal pode ser fatal;

3º Nunca tome decisões em momentos de ódio ou de dor, pois você pode se arrepender
e ser tarde demais.

Após dar os conselhos o patrão disse ao rapaz, que já não era tão jovem assim:

-Aqui você tem três pães, dois para você comer durante a viagem e o terceiro é para
comer com sua esposa quando chegar em sua casa.

O homem então seguiu seu caminho de volta, depois de 20 anos longe de casa e da
esposa que tanto amava. Após o 1º dia de viagem encontrou um andarilho que o
cumprimentou e lhe perguntou:

Para onde você vai?

Ele respondeu:

Vou para um lugar muito longe que fica a mais de 20 dias de caminhada pôr esta
estrada.

O andarilho disse-lhe então:

-Rapaz, este caminho é muito longo, eu conheço um atalho que é ‘dez’ e você chega em
poucos dias.

O rapaz contente, começou a seguir pelo atalho, quando lembrou-se do 1º conselho,
então voltou e seguiu o caminho normal. Dias depois soube que o atalho levava a uma
emboscada. Depois de alguns dias de viagem, cansado ao extremo, achou uma pensão
a beira da estrada, onde pode hospedar-se. Pagou a diária e após tomar um banho
deitou-se para dormir. De madrugada, acordou assustado com um grito estarrecedor.
Levantou-se, de um salto só e dirigiu-se a porta para ir até o local do grito. Quando esta
abrindo a porta lembrou-se do 2º conselho.

Voltou, deitou-se e dormiu, Ao amanhecer, após tomar o café, o dono da hospedagem
lhe perguntou se ele não havia
ouvido um grito e ele disse que tinha ouvido.
O hospedeiro disse:

-E você não ficou curioso? Ele disse que não.

O hospedeiro respondeu:

Você é o primeiro hospede a sair vivo daqui, pois meu filho tem crises de loucura, grita
durante a noite e quando o hospede sai, mata-o e enterra-o no quintal.

O rapaz prosseguiu na sua longa jornada, ansioso pôr chegar a sua casa. Depois de
muitos dias e noites de caminhada…..Já no entardecer, viu entre as arvores a fumaça
de sua casinha, andou e logo viu entre os arbustos a silhueta de sua esposa. Estava
anoitecendo, mas ele pode ver que ela não estava só. Andou mais um pouco e viu que
ela tinha entre os braços um homem, que a estava acariciando os cabelos. Quando viu
aquela cena, seu coração se encheu de ódio e amargura e decidiu-se a correr de
encontro aos dois e matá-lo sem piedade. Respirou fundo, apressou os passos, quando
lembrou-se do 3º conselho. Então parou, refletiu e decidiu dormir aquela noite ali
mesmo e no dia seguinte tomar uma decisão.

Ao amanhecer, já com a cabeça fria ele disse:

-Não vou matar minha esposa e nem seu amante. Vou voltar para o meu patrão e pedir
que ele me aceite de volta. Só que antes quero dizer a minha esposa que eu sempre fui
fiel a ela.

Dirigiu-se a porta da casa e bateu. Quando a esposa abre a porta e o reconhece, se
atira ao seu pescoço e o abraça afetuosamente. Ele tenta afastá-la, mas não consegue.
Então, com lágrimas nos olhos, lhe diz:

-Eu fui fiel a você e você me traiu.

Ela espantada responde:

-Como ? Eu nunca te traí, te espero durante esses 20 anos.

Ele então lhe perguntou:

-E aquele homem que você estava acariciando ontem ao entardecer?” Ela lhe disse:

-Aquele homem é nosso filho. Quando você foi embora descobri que estava grávida.
Hoje ele está com 20 anos de idade.

Então o marido entrou, conheceu, abraçou seu filho e contou-lhes toda a sua história,
enquanto a esposa preparava o café. Sentaram-se para toma-lo e comer juntos o último
pão. Após a doação de agradecimento, com lágrimas de emoção , ele parte o pão e ao
abri-lo, encontra todo o seu dinheiro, o pacto pôr seus 20 anos de dedicação.

Muitas vezes achamos que o atalho “queima etapas” e nos faz chegar mais rápido, o
que nem sempre é verdade….Muitas vezes somos curiosos, queremos saber da coisas
que nem ao menos nos dizem respeito e que nada de bom nos acrescentará….
Outras vezes agimos por impulso, na hora da raiva e fatalmente nos arrependemos
depois….Espero que você e não esqueça também de confiar em Deus, mesmo que a
vida muitas vezes já tenha lhe dado motivos para a desconfiança.


Algo que dê sentido a vida

Deus deixou todas as coisas para nos ensinar. Aprendi uma lição muito preciosa com uma cadelinha
que tínhamos há alguns anos. Era ela extremamente alegre, dócil e brincalhona. O que ela mais
gostava de fazer era buscar os objetos que as pessoas atiravam ao longe, afim de que ela corresse
para pegar. Ele amava tanto esta brincadeira que sempre que alguém da família estava por perto,
logo vinha ela com uma bolinha, um pedaço de madeira e até mesmo uma pedra, para que
pegássemos e lançássemos e assim saísse em disparada à caça do objeto. Não havia quem não
gostasse de brincar com a cadela nesta modalidade.

Certo dia adoeceu nossa cadelinha preta e por mais que a medicássemos não se animava. Já tinha
deixado de se alimentar e perdido toda disposição para andar. Quando nos aproximávamos dela ela
tão somente dava alguns gemidos tristes e balançava a cauda tentando nos dizer que tudo estava
bem.

Vendo ela naquela situação, me senti impotente, mas de repente uma idéia surgiu em minha mente.
Corri, peguei uma bolinha e mostrei a ela que instantaneamente demonstrou uma alegria contagiante,
mesmo sem poder se levantar do lugar.

Não contive as lágrimas quando atirei a bolinha a mais ou menos dois metros de distância e vi a
cadelinha fazendo um tremendo esforço para se levantar e capturar a bola. Depois de muito esforço
ela se levantou e ainda meio cambaleando capturou a bolinha e trouxe até a mim.

Fui fazendo isso repetidamente, de forma leve e através dos exercícios ela se restabeleceu e
voltou a ser a que era antes da doença.

Aprendi uma coisa muito importante com esta história. Quando achamos que mais nada vale a pena,
ai morremos rapidamente.


Administrando os problemas

A mãe, em suas muitas ocupações diárias se ausenta por alguns minutos e ao retornar percebe que seus cinco filhos formaram um círculo no terreiro da casa. Algo chamava muito atenção
daquelas crianças, por isso a curiosidade da mãe também foi aguçada fazendo com que
acelerasse o passo. Ao se aproximar ela percebeu que seus filhos estavam
em torno de cinco filhotes de Gambá.

Seu instinto de mãe foi acionado, fazendo com que gritasse bem forte:

-Filhos, cuidado!

Cada um pegou um filhote de Gambá e fugiu.

Conclusão: Quando realmente não sabemos lidar com os problemas que surgem,
podemos facilmente aumentá-los com uma simples palavra.


A visita do ladrão

Todos os dias a esposa acordava o marido aos sanfanões dizendo:
-Meu bem, tem um ladrão lá em baixo!

O marido descia sonolento e pacientemente voltava dizendo:
-Não, querida! Não tem ninguém la!
Um dia, em alta madrugada, aquele pobre homem acordou saculejado pela esposa que
logo veio com a mesma conversa:

-Meu bem, vai lá embaixo dar uma olhada porque tem um ladrão lá!
O marido desceu e para sua surpresa lá estava o larápio.

-Passa dinheiro, celular e as joias! Ordenou o ladrão.

O homem passou todos os pertences ao assaltante, mas resolveu fazer um pedido:

-Moço, o senhor pode subir lá em cima, no quarto onde se encontra a minha esposa?

Estranhando, o ladrão perguntou:

-Mas porque?
-Porque ela esta te esperando todas as noites e já fazem quarenta anos.